Modelos de Casas – Projetos Completos com Fotos e Plantas

Na hora de construir muitas pessoas ficam em dúvida sobre quais modelos de casas escolher ou ainda que tipo de casa pode ser construída de acordo com o terreno que possuem. Então me acompanhe neste post para conhecer os principais modelos de casa ideais para cada terreno.

Se você já tem um terreno, com a documentação regularizada, a primeira coisa é fazer uma consulta prévia do alvará de construção. No documento deve constar as metragens do lote e também os parâmetros construtivos do lote, esses parâmetros são definidos de acordo com a região que o terreno está situado e com o tipo de via (rua) a qual a testada do terreno dá acesso.

Por exemplo, em uma via local de um bairro residencial as construções de casas térreas e sobrados são permitidas, às vezes também é permissível construir condomínios de casas, mas, talvez a construção de edifícios com mais de 3 andares seja proibido.

Tudo vai depender do que estiver escrito no alvará de construção, os parâmetros definem o tipo de construção, quantos andares podem ser construídos, qual a área máxima que pode ser construída, qual o recuo obrigatório da testada (divisa entre o terreno e a rua), qual o afastamento das divisas do terreno (entre o seu terreno e o do vizinho), qual a área de permeabilidade obrigatória, etc.

A casa abaixo denominada Casa Offset, projetada pela empresa Shieh Arquitetos Associados, é um modelo de casa projetada em um terreno com uma forma irregular e ainda com desnível, veja a solução encontrada pelos arquitetos na galeria.

Os parâmetros de construção acabam muitas vezes definindo o modelo de casa que vai ser projetado, além desses parâmetros existem leis que definem, por exemplo, o afastamento de córregos, rios, lagos, etc. Que sejam próximos a área em que será construída a residência.

Quem define essas leis e parâmetros ambientais é o CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente de acordo com o Código Ambiental Brasileiro, Lei 12.651/2012.

Existe uma hierarquia de parâmetros, primeiro é preciso observar as leis nacionais, depois as estaduais e por fim as municipais.

Avaliando todas as condicionantes legais que tem influência sobre o terreno, o arquiteto que irá projetar a casa vai descontar essas áreas de afastamento e verificar o que pode ser construído, se vai ser um sobrado, uma casa térrea, um tríplex, sempre considerando o que é área computável e o que não é área computável.

O modelo de casa abaixo, denominada Casa Vertical, projeto do Studio Isay Weinfeld Arquitetura, possui subsolo, térreo, mezanino, primeiro pavimento, segundo pavimento e terraço gourmet, são praticamente 5 pavimentos, porém provavelmente o subsolo e a área do mezanino não são área computáveis. Veja todo o projeto e fotos na galeria.

A área computável é a área construída que vai ser considerada pela prefeitura, digamos que no terreno seja permitido construir uma casa de 200 m², mas o subsolo para o uso de garagem não é uma área computável, você faz a sua garagem no subsolo, digamos que 75m² de garagem, que não vai contar e mais os 200 m² que serão contados, então em vez de você ter uma casa de 200 m² será de 275m², pois a área da garagem não será computada. Entendeu?

Isso pode valer para garagens, sacadas, balcões, varandas e varandas técnicas até um certo limite de tamanho, depósitos e vestiários no subsolo, áreas de ático (até um certo tamanho) dependendo da legislação do seu município.

Por outro lado, as áreas computáveis são aquelas áreas que são consideradas no potencial construtivo residencial, não só a área de piso como dependendo da lei municipal as salas com pé-direito duplo pode ser considerada, dependendo da altura como dois pavimentos, portanto, terá um acréscimo de área computável do projeto.

Parece complicado, mas para os arquitetos que são acostumados a fazer projetos de construção é um conhecimento básico para iniciar qualquer layout de casas, sobrados, prédios, etc.

Todas essas questões acima são importantíssimas para definir quais serão os melhores modelos de casas.

Até agora praticamente só foram considerados parâmetros legais, claro que em qualquer projeto arquitetônico também devem ser considerados as quentões ambientais: quais são os ventos dominantes, qual a orientação solar do terreno, quais as temperaturas anuais, qual o índice pluviométrico regional (índice de chuvas), como é a paisagem entorno do terreno se existem áreas verdes, se é uma área urbana com poluição visual, se a região é perigosa, se a vizinhança é barulhenta.

Esses fatores ambientais podem influenciar nas setorizações dos ambientes, nas soluções para a fachada da casa, na volumetria da edificação, nas aberturas (portas e janelas), enfim, são questões importantes que podem fazer a diferença entre morar em uma casa confortável, com uma temperatura agradável, com um isolamento acústico adequado, com ambientes frescos com uma boa renovação do ar.

Abaixo um modelo de casa térrea em que foi feito um estudo sobre ventilação e orientação solar, o projeto se chama Sliding Pergolas do escritório de aruqitetura FGMF.

Nós moramos em um país de proporções continentais, cada região do Brasil tem um tipo de clima diferente e as construções tem que prever soluções adequadas para cada clima, não existem uma solução única, até mesmo dentro da mesma cidade, muitas vezes o desenho dos edifícios do entorno altera a circulação de ar no terreno. E o arquiteto tem que avaliar e projetar a casa de acordo com as condicionantes ambientais.

Existe uma nova norma técnica que estabelece condições mínimas de conforto nas edificações a NBR 15.575/2013.

Por fim, para desenvolver o modelo de casa ideal para você o arquiteto vai avaliar as questões sociais, temporais e econômicas.  As sociais dizem respeito ao convívio familiar, como você e a sua família irão utilizar a casa, o que é importante para você, privacidade, segurança, liberdade, etc.

Uma sala confortável para receber muitos amigos, talvez um quarto maior que caiba aquela cama King Size que você tanto sonha em ter, uma cozinha ampla porque você e sua família gostam de cozinhar juntos, enfim, você vai contar para o arquiteto como é a sua casa dos sonhos, ou a casa em que você quer morar com a sua família.

O arquiteto pode prever ampliações futuras para o projeto, por exemplo, ele pode projetar uma casa térrea com fundação resistente para dois andares, prevendo que futuramente a família vai ampliar verticalmente a casa. Ou, ainda pode prever a ampliação horizontal, uma construção de edícula, de mais quartos. Todas essas alterações já podem constar no projeto arquitetônico inicial da casa.

A Box House abaixo, projeto do escritório Um a Um Arquitetura, é uma pequena casa térrea que foi projetada para ter dois quartos, mas que na época foi construida com apenas um quarto. Provavelmente o projeto foi feito para um casal sem filhos, que planejava futuramente ter. Nas fotos da casa a parede já foi construída, logo atrás da sala de estar, mas a planta mostra a parede em vermelho.

Já as questões econômicas e temporais tem relação com o tempo de projeto, tempo de obra e o custo final da construção da casa, pois, o profissional pode buscar soluções construtivas que são mais econômicas, como também soluções que vão reduzir o tempo de obra.

São todos esses fatores que definem um projeto arquitetônico, por isso, é difícil escolher um modelo de casa pronto, ou ainda escolher entre diversos projetos de casas online, pois a casa não é como um carro que pode ser fabricado em série, pelo contrário quanto mais exclusivo e pessoal for o projeto da sua casa, mais conforto e menos dores de cabeça você terá no futuro.

Na hora de definir o modelo da sua casa pense em quantos anos você ficará morando nela, 10, 20, 30, 50 anos vivendo na casa que você vai escolher, então priorize o seu conforto e o conforto da sua família e contrate um profissional que vai saber exatamente como fazer o melhor projeto, o projeto que a sua vida merece.

E se você não pensa em morar na casa e está apenas construindo para vender o imóvel será muito mais fácil de vender se as documentações e o projeto da casa estiver legalizado na prefeitura e para isso você vai precisar de um projeto assinado pelo arquiteto de qualquer maneira, só assim você vai conseguir financiar o seu imóvel  junto aos bancos.

Neste post você conheceu 4 modelos de casas, cada uma com suas características próprias e estilos diferentes:

A Casa Offset, um modelo de casa moderna de dois andares e três quartos, com terreno em desnível e com formato irregular.

A Casa Vertical, um modelo de sobrado com muitos andares e dois quartos, que aproveitou bem as possibilidades do terreno pequeno para criar subsolo, mezanino e terraço e assim ganhar uns metros quadrados a mais no projeto.

A casa Sliding Pergolas, um modelo de casa grande e térrea construída em um terreno quase trapezoidal,  com dois dormitórios. Que utilizou um sistema estrutural em grelha metálica que possibilitou separar os ambientes e criando jardins internos. Com esse projeto os arquitetos valorizaram as vistas para o interior da casa e gerando espaços ventilados e bem iluminados.

E conferiu ainda um modelo de casa térrea pequena, mas também com dois quartos, a Box House, um projeto que já nasceu prevendo a apliação futura de mais um quarto.

Espero que tenha gostado do post. Qualquer dúvida escreva nos comentários que eu terei muito prazer em responder. Um abraço e até o próximo post.

Fernanda Knopik

Fernanda Knopik é Editora-Chefe do ArquiDicas e idealizadora do site, acredita que a Arquitetura é essencial na vida das pessoas, pois tem o poder de transformar e melhorar o modo como elas de relacionam. É formada em Arquitetura e Urbanismo pela PUC-PR.

Comentários

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.